Sem categoria

O Dr. Marques Moura, cirurgião plástico, publicou recentemente um artigo sobre beleza, estética e sexualidade no blogue Love with Pepper, que partilhamos aqui consigo.

 

A beleza e a estética poderão parecer a mesma coisa, mas existem diferenças óbvias. A primeira é uma palavra conceptual e que muda com os tempos consoante os padrões de beleza qua a sociedade vai estabelecendo ao longo dos tempos. A beleza pode existir sem estética, sendo a estética mais um conceito de harmonização e equilíbrio das formas no corpo e na mente.

 

A sexualidade sendo uma matéria importante e sensível para o equilíbrio do corpo e da mente não vive unicamente da beleza e da estética e depende também dos outros órgãos sensoriais que não unicamente a visão a qual determina o chamado sentido estético; por este motivo a sexualidade é mais complexa pois ela depende do olfato, do toque, da audição e dos sabores ou seja do universo alargado dos sentidos e que ajudam a aproximar os seres humanos e a viver as suas relações.

 

Com estes conceitos bem arrumados na mente percebemos que o relacionamento não é só físico, mas sensorial e intelectual e que o equilíbrio sexual é o resultado da união sensual, estética e mental entre 2 seres humanos, mais do que a beleza conceptual e os seus padrões.

 

Percebemos, assim muitas relações entre casais que são excelentes e vividas intensamente pelos próprios e que mesmo depois da dita beleza estética ser abalada por um qualquer acidente traumático (amputação, queimadura ou dismorfias) ou não traumático (alterações próprias do crescimento ou envelhecimento) se vão mantendo, se renovam ou até mesmo melhoram após um qualquer infortúnio pessoal de um deles.

 

A união entre dois seres humanos vai muito além da beleza estética e a componente da sexualidade ainda que possa estar disfuncional ou em desequilíbrio após uma alteração física de um dos parceiros pode ser corrigida ou melhorada por cirurgia plástica ou reconstrutiva e dessa forma muitas vezes melhorar a ansiedade , o medo ou a perda de autoestima que possa surgir num dos parceiros ou em ambos; desta forma é pois sempre possível gerir a mente ( com psicólogo e/ou psiquiatras de apoio ) e o corpo ( com cirurgias reconstrutivas e apoio de um cirurgião plástico ) ajustando ou mesmo melhorando a seu tempo a componente sexual do casal sendo para isso importante manter a sensualidade e os sentimentos bem presentes e vivos , vindo-se a estabelecer muitas vezes relações belas e sólidas , e que fazem do ser humano uma espécie única a ser preservada e bem tratada pela sociedade no nosso planeta Terra.

 

 

Já conhece o Love With Pepper?

 

Love with Pepper, amor com pimenta.

Chegou o blogue que vai mudar mentalidades.

É comum sentirmos que ainda temos muito por descobrir e explorar, principalmente no que respeita a determinados temas abordados habitualmente com pudor.

Apesar de significativos, muitos destes assuntos são frequentemente remetidos para segundo plano, como é o caso da sexualidade – muitas vezes reprimida ou condicionada pelo contexto cultural e social em que vivemos.

Neste espaço, iremos aprofundar a intimidade, a parte que não se vê, que é essencialmente importante para todos Nós.

Para isso, iremos expor e aprofundar vários temas, histórias e dúvidas, contando com a presença e a dinâmica de todos.

O lema deste blogue é Sexualmente realizado. Vida Feliz.

0

Sem categoria

O Dr. Marques Moura garante a continuidade dos seus cuidados médicos, com toda a segurança, através do novo serviço de videoconsulta.

 

Este novo serviço permite a prestação de cuidados de saúde durante a pandemia de covid-19, garantindo que os utentes continuam a ser acompanhados em segurança, sempre que possível sem necessidade de deslocação física à unidade.

 

A videoconsulta é, de resto, uma aposta do Hospital da Prelada, com benefícios para todos os cidadãos, sobretudo no momento crítico de saúde pública que o país atravessa. 

 

O Dr. Marques Moura assegura consultas de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética que, devido à natureza técnica, não exigem a sua presença no hospital. 

 

 

Quem pode ter videoconsulta?

Este novo serviço é disponibilizado para todas as primeiras consultas ou subsequentes. 

Para além dos nossos clientes em regime privado, já temos acordo para a sua realização com as seguintes entidades:

– ADSE

– Future Healthcare

– Médis

– Multicare

– SAMS Quadros

– Serviço Nacional de Saúde

O Hospital da Prelada continua em articulação com todas as entidades que têm acordo com o hospital, para que possam alargar este novo serviço a todos os seus beneficiários e segurados.

 


Quais as condições para a sua realização?


O Dr. Marques Moura estará no Hospital da Prelada.

Da sua parte é necessário que:

– Tenha email.

– Tenha um dispositivo com câmara de vídeo, microfone e ligação à nternet: smartphone, computador ou tablet.

 


Como se marca a videoconsulta?


Os clientes cujas consultas foram adiadas desde o dia 16 de março, devido à necessidade de suspensão da atividade programada do nosso hospital, serão contactados pelo nosso Centro de Atendimento para reagendamento. 

Todos os clientes que desejem agendar uma videoconsulta (primeira consulta ou subsequente) podem fazê-lo através dos seguintes meios:

– Ligando para 228 330 770 (08h00 às 20h00 | dias úteis).

– Enviando email para centro.atendimento@hospitaldaprelada.pt.

 


Como se realiza a videoconsulta?


Após o agendamento da videoconsulta recebe no seu email uma mensagem com a seguinte informação:

– Confirmação de data e hora da videoconsulta.

– Confirmação do nome do Médico.

– Link através do qual será realizada a videoconsulta.

 

Na data/hora da videoconsulta deve:

1.º Ligar a Internet no equipamento que irá utilizar para a videoconsulta (smartphone, computador ou tablet).

2.º Escolher um local privado, sem ruído e com bom acesso à internet.

3.º Aceder ao email que já lhe enviámos e clicar no link “Join Microsoft Teams Meeting”.

4.º Na página de Internet que abriu clicar em “Participar”.

 

Nesse momento irá ver e ouvir o Dr. Marques Moura. Assegure-se de que tem a câmara frontal ativada e o microfone ligado, para que o Dr. Marques Moura também o(a) possa ver e ouvir.

Se não estiver a ver ou a ouvir o Dr. Marques Moura, por favor aguarde.

O tempo de duração da videoconsulta é igual ao da consulta presencial.

Durante a videoconsulta poderá apresentar relatórios de exames através da câmara ou partilhando-os com o Dr. Marques Moura.

As eventuais prescrições de medicamentos e/ou exames ficam disponíveis na APP do Hospital da Prelada e serão, ainda, enviadas para o seu email.

No final da consulta deve desligar a chamada e fechar a respetiva página de internet.

 


A videoconsulta é segura?


A videoconsulta é realizada através de uma rede segura do Hospital da Prelada e garantimos a proteção dos seus dados, em total cumprimento do Regulamento Geral de Proteção de Dados. É ainda proibida, nos termos da lei, a gravação da videoconsulta por terceiros, em parte ou no seu todo.

 


Qual é o preço?


O custo da videoconsulta é igual ao da consulta presencial. 

 


Como se procede ao pagamento?


A forma de faturação é igual à de uma consulta presencial. 

A sua fatura ficará disponível na APP do Hospital da Prelada e será, ainda, enviada para o seu email. Deve seguir as respetivas instruções de pagamento por referência multibanco.

0

Sem categoria

A COVID-19 trouxe muitas mudanças para a rotina de todos nós e os hospitais tiveram que se adaptar. Nesse sentido, o Dr. Marques Moura vem partilhar consigo através deste artigo as exigências que está obrigado a cumprir.

 

Apesar da atividade de consultas e cirurgias estar temporariamente suspensa, o Dr. Marques Moura continua sempre disponível para esclarecer as suas dúvidas. Para entrar em contacto, utilize o formulário de contacto deste site.

 

O Colégio da Especialidade de Cirurgia Plástica Reconstrutiva e Estética da Ordem dos Médicos emitiu, na sequência da pandemia de COVID-19, as seguintes recomendações:

 

  1. Todas as consultas e tratamentos de rotina e consultas e tratamentos de sequência post operatória e primeiras consultas que não sejam determinadas por situações de natureza prioritária, como as abaixo referenciadas, devem ser suspensas.

 

 

  1. Em qualquer contexto a prática da Cirurgia Plástica Reconstrutiva e Estética deve ser restringida ao tratamento cirúrgico de pacientes de carácter prioritário, nomeadamente e a título de exemplo:

 

a) Tratamento de traumatismos e infecções agudas;

b) Tratamento de feridas, perdas de substância ou afins de carácter sub-agudo (p.e. amputações, iminência de fracturas patológicas, encerramento de áreas de fasciotomia…);

c) Tratamento de tumores malignos com risco de disseminação ou os de comportamento local que possam comprometer ou tornar complexas soluções cirúrgicas simples ou atingir estruturas de difícil reconstrução (p.e. c. basocelulares da região cantal interna.);

d) Reconstruções imediatas post excisão tumoral no contexto de neoplasias malignas;

e) Reconstruções que envolvam protecção inadiável de estruturas nobres (p.e. olho);

f) Prossecussão de tratamentos em curso cujo adiamento possa comprometer o resultado ou originar complicações (p.e. 2ºs tempos operatórios).

 

 

  1. Pesadas embora as limitações do teste diagnóstico em assintomáticos, esta prática deve ser proactivamente estimulada, sempre que clinicamente possível, para todos os pacientes sujeitos a internamento hospitalar.

 

 

  1. O uso de EPI adequado é obrigatório

 

a) Neste contexto, procedimentos de segurança de carácter acrescido devem ser activados nas intervenções cirúrgicas e tratamentos que exponham os profissionais ao perigo de aerosolização no contexto da Cirurgia de Cabeça e Pescoço, nomeadamente as normas de segurança de procedimentos no manuseio da via aérea que limitem esta aerosolização e EPI´s adequadas.

 

Entre estas relevam:

i. Máscaras N95 (FFP2) + viseiras faciais/óculos de protecção, luvas, fato não-poroso e barrete descartáveis.

a) Se disponivel uso de equipamento FPP3 ou PAPR (Powered Air-Purifying Respirators)

ii. Dependendo da taxa de renovação aérea 90% dos agentes estarão limpos em 14 minutos… A equipa cirúrgica deve assim permanecer fora da sala operatória 20 minutos após a entubação.

iii. Sempre que possível o paciente deve permanecer curarizado.

iv. Deve ser evitada a aspiração, irrigação e o uso de coagulação monopolar.

v. Priveligiar o material auto-perfurante, parafusos de IMM, perfuração de baixa velocidade, osteótomos e abordagens transcutâneas.

vi. Colocar penso oclusivo sobre a região oro nasal sempre que possível

vii. Se clinicamente possível justifica-se testar os pacientes neste contexto.

 

 

  1. Deve ser pesado que a permanência no ar circulante normal de partículas virais no contexto de aerosolização ultrapassará previsivelmente as 3 horas.

 

 

  1. De especial importância é o manejo dos pacientes com indicação para internamento em Unidades de Queimados. Sendo estruturas em Pressão Positiva há risco de compromisso de todos os profissionais de Serviço no caso de ser internado um paciente COVID19 e, por extensão, a contaminação dos outros pacientes… No contexto dum doente imunosuprimido e com grave patologia respiratória pendente, este panorama é catastrófico e a depleção de pessoal especializado não substituível reveste uma enorme gravidade.


    a)Devem ser previstas áreas de transição para tratamento indispensável, não sujeitas a pressão positiva, para pacientes a aguardar resultado de teste antes do internamento na Unidade de Queimados.


     

  2. Considerar que os pacientes assintomáticos podem estar infectados com COVID19 a menos que possa ser documentado a existência de 2 testes negativos com pelo menos 24 h de espaçamento temporas.

0